E-mail e Telefone

| Telefone: (91) 3225-0814
email

Ampep elogia atuação de promotor

Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, foi condenado na quinta-feira, 19, a 30 anos de prisão como o mandante do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang, em 12 fevereiro de 2005, em Anapu, no Pará. A sentença foi proferida às 23h45 pelo juiz Raimundo Moisés Alves Flexa, após cerca de 13 horas de julgamento no Tribunal de Justiça do Pará. O promotor de justiça que atuou no júri foi Edson Cardoso, que teve o seu desempenho altamente elogiado pela diretoria da Associação do Ministério Público do Estado do Pará (Ampep). "Este foi um julgamento histórico. O caso chocou toda a população e é muito positivo que o desfecho seja com a condenação do principal culpado", comentou o presidente da Ampep, Samir Dahás.

Para o promotor Edson Cardoso, a defesa pretendeu atribuir os motivos do crime a Amair Feijoli Cunha, o Tato, condenado como intermediário entre os mandantes e os executores do crime, mas prevaleceu a argumentação, a partir de depoimentos dados por Rayfran das Neves e Tato, de que havia mais gente envolvida no caso. A defesa de Bida adiantou que pretende recorrer da sentença de ontem. Familiares de Vitalmiro Moura lamentaram a decisão do conselho de sentença. Porém, do resultado do quarto julgamento do caso, o condenado não poderá recorrer em liberdade, e permanecerá sob a custódia do Sistema Penitenciário do Pará.

Ainda de acordo com o promotor Edson Cardoso, todas as testemunhas da defesa de Vitalmiro teriam combinado suas versões para inocentar o réu. Para sustentar o argumento do Ministério Público, o pro motor apresentou o laudo pericial da gravação de uma conversa feita na cadeia, on- de Rayfran, condenado pelo assassinato da missionária, disse que receberia dinheiro para depor a favor de Vitalmiro. “Rayfran e Clodoaldo (também condenado, hoje foragido) teriam recebido R$ 10 mil para favorecer Bida em depoimento dentro da penitenciária”, disse o promotor.

Saiba mais sobre o julgamento e também sobre o caso na reportagem publicada hoje pelo jornal O Liberal. (acesse aqui e aqui)

Texto principal: Jornal O Liberal
Fotos: Bruno Magno (Portal ORM) e Cristino Martins (O Liberal)


Publicado em: 20.09.2013