E-mail e Telefone

| Telefone: (91) 3225-0814
email

Ampep premia melhores trabalhos forenses

A Associação do Ministério Público do Estado do Pará (Ampep) entregou nesta sexta-feira, 13, o Prêmio Procurador de Justiça Artemis Leite da Silva, que busca incentivar o aprimoramento cultural dos membros ministeriais paraenses. A premiação está prevista no artigo 65 do Estatuto da Ampep e escolhe anualmente os melhores trabalhos forenses nas áreas cível e criminal apresentados pelos seus associados.

A entrega foi realizada durante a sessão solene do Colégio de Procuradores de Justiça (CPJ) em alusão ao Dia Nacional do Ministério Público (14 de dezembro), no auditório Nathanael Farias Leitão. Saiba tudo sobre o evento aqui. O presidente da Ampep, Samir Tadeu Moraes Dahás Jorge, e o 1º diretor administrativo e financeiro, Manoel Victor Sereni Murrieta, premiaram os escolhidos. No total, onze peças concorreram. Os trabalhos foram analisados pelas comissões julgadoras seguindo os critérios de forma de apresentação, correção de linguagem e conteúdo jurídico.

Seis associados foram responsáveis pela avaliação dos trabalhos. Alexandre Manuel Lopes Rodrigues, Léa Cristina Mouzinho da Rocha e Miguel Ribeiro Baía na área criminal e Frederico Antônio Lima de Oliveira, Eliane Cristina Pinto Moreira e Nilton Gurjão das Chagas na categoria cível.

Em seu discurso, Samir Dahás reconheceu que o MP paraense possui membros de alta competência e comprometimento. Parabenizou os ganhadores e todos os concorrentes. Relembrou a derrocada da PEC 37, que na opinião de Dahás seria impossível sem a ajuda da sociedade. “A partir de julho deste ano, a população nos disse o que espera de nós: combate à corrupção. Isto deve ser prioridade e o Ministério Público deve trabalhar para mudar a realidade do país”, disse.

Conheça os premiados:


ÁREA CRIMINAL

1º lugar: Armando Brasil Teixeira (resumo do trabalho)

2º lugar: Cândida de Jesus Ribeiro do Nascimento (resumo do trabalho)

 

ÁREA CÍVEL

1º lugar: Daniel Henrique Queiroz de Azevedo (resumo do trabalho)

2º lugar: Érika Menezes de Oliveira (resumo do trabalho)

HISTÓRIA – A premiação teve origem em maio de 1990, quando definido em Estatuto da Ampep e posteriormente publicado no Diário Oficial do Estado. De sólida formação humanista, jurista de enorme conhecimento, Artemis Leite da Silva foi especialista em Direito de Família e em Direito Processual Civil. Sua atuação nessa área, bem como o carinho que dispensava às pessoas humildes que patrocinava, quer como Assistente Judiciário, quer como advogado, o que lhe atribuiu o título de "Advogado da Família".

Sua carreira no MP iniciou na década de 50, como Assistente Judiciário, com esporádicas passagens pela Procuradoria Fiscal do Estado e pela Advocacia de Ofício de Justiça Militar Estadual. Na década de 70 foi designado Assessor de Assuntos Jurídicos da Chefia do MP, respondendo interinamente pela Procuradoria Geral. Ainda nesse período, Artemis foi nomeado Subprocurador-Geral atuando junto as Câmaras Cível e Penal do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Posteriormente, escolheu retornar ao cargo da Assistência Judiciária Cível de onde foi promovido a Procurador de Justiça em janeiro de 1983, servindo nas Câmaras Reunidas do TJ/PA.

Confira mais fotos do evento:


AMPEP – Imprensa
 


Publicado em: 13.12.2013