| Telefone: (91) 3222-8742
email

“Artemis Leite” premia trabalhos forenses

A Associação do Ministério Público do Estado do Pará (Ampep) premiou na sexta-feira (11) os melhores trabalhos forenses das áreas cível e criminal com o prêmio Procurador de Justiça Artemis Leite da Silva. Os certificados foram entregues durante as comemorações do Dia Nacional do Ministério Público, celebrado no dia 14 de dezembro, em sessão solene realizada pelo Ministério Público do Estado (MPE), no auditório do edifício-sede em Belém.

O prêmio Procurador de Justiça Artemis Leite da Silva foi instituído em 1990. Os critérios de pontuação em 2015 foram: forma de apresentação (2,5 pontos), correção da linguagem (2,5 pontos) e conteúdo jurídico (5 pontos). O presidente da Ampep, Manoel Murrieta, agraciou os seguintes associados:


CATEGORIA CÍVEL

1º lugar – Lilian Regina Furtado Braga (trabalho feito em conjunto com Ione Nakamura e Janaína Sousa)

2º lugar – Daniel Henrique Queiroz de Azevedo

CATEGORIA CRIMINAL

1º lugar – Nelson Pereira Medrado e Sabrina Said Daibes de Amorim Sanches

2º lugar – Francisco de Assis Santos Lauzid

 

Cada categoria tinha sua comissão julgadora. Os trabalhos criminais foram analisados pelos promotores de justiça José Augusto Nogueira Sarmento e Léa Cristina Mouzinho da Rocha e pelo advogado Clodomir Assis Araújo Junior Já os cíveis ficaram sob análise dos associados Raimundo de Jesus Coelho de Moraes, Sumaya Saad Morhy Pereira e Waldir Macieira da Costa Filho.

Manoel Murrieta anunciou durante seu discurso a criação do Prêmio Experiências Exitosas, que irá reconhecer os melhores trabalhos extrajudiciais, e também o lançamento em janeiro de 2016 da Revista Ampep, com o objetivo de divulgar para a comunidade externa a produção científica dos associados. A respeito da data comemorada no evento, o presidente da Ampep afirmou que "hoje comemoramos mais um ano de luta, de batalhas vencidas, o que não significa dizer que elas terminaram. Com tolerância, humildade, ousadia e firmeza de propósito haveremos de enfrentá-las e vencê-las. Não em nosso favor, mas sim do nosso destinatário: o povo paraense".

A respeito do novo prêmio que será instituído pela Ampep, a promotora Lilian Braga elogiou a iniciativa. "Muitas vezes o labor do promotor de justiça está muito mais voltado às questões extrajudiciais, ao diálogo com a comunidade na defesa dos Direitos Humanos, do que mesmo somente à atribuição jurisdicional", explicou a associada, que falou em nome de todos os vencedores do "Artemis".

 

AMPEP – Assessoria de Imprensa
 


Publicado em: 12.12.2015