| Telefone: (91) 3222-8742
email

MPPA renova forças com novos membros

Em sessão solene realizada no Polo Joalheiro, em Belém, o Colégio de Procuradores de Justiça (CPJ) do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) empossou na noite de ontem trinta e sete novos promotores de justiça. A Associação do Ministério Público do Estado do Pará (Ampep), por meio de diretores e diversos associados, participou da recepção dos novos membros, nomeados no início do mês passado e que irão atuar na primeira entrância. (Acesse aqui a galeria completa de registros da noite)

O governador Simão Jatene prestigiou o evento e discursou aos novos integrantes ministeriais, definindo-os como paraenses, independente de seu local de nascimento. “Ser paraense não é definido pelo local de nascimento. Este Estado é a mais perfeita síntese da unidade na adversidade. Sejam bem-vindos”, recepcionou o chefe do executivo.

Para o presidente da Ampep, Manoel Murrieta, aceitar a investidura no cargo é dizer sim à responsabilidade, ao compromisso com a sociedade, à representação dos menos favorecidos e ao bom combate. Em um discurso repleto de conselhos e ensinamentos aos novos colegas de carreira, Murrieta lembrou que os brasileiros clamam por atuação prioritária do MP no combate à corrupção. O representante da Associação finalizou afirmando que “a partir de hoje a inspiração de ser promotor de justiça jamais pode se apagar, seja qual for o desafio, o desânimo que se apresente ou a batalha”.

O orador Diego Libardi Rodrigues definiu que ser promotor de justiça não é apenas uma opção de trabalho, mas uma vocação e um ideal de vida. Segundo ele, a sociedade urge por um Ministério Público combativo, que não seja complacente com as estruturas dominantes e nem acovardado e dócil com os poderosos. “Seremos implacáveis defensores da democracia, dos direitos humanos e sociais, e dos valores mais caros a sociedade paraense. Nos tornamos hoje servidores de mais de oito milhões de cidadãos. É para eles que devemos trabalhar e prestar contas”, garantiu Diego Rodrigues.

“Se a expectativa pela chegada de vocês era imensa, maior é a tarefa que os aguarda”, resumiu aos empossados o procurador-geral e justiça Marcos Neves. O chefe do Parquet destacou também a confiança que os paraenses depositam no Ministério Público. Sensibilidade, sabedoria e humanidade foram características apontadas como essenciais aos novos membros. E finalizou: “O Brasil vive um momento de trevas. Carreguem a chama da justiça. Vocês levam esperança ao povo e muitas vezes serão a própria esperança”.

O subprocurador-geral de justiça, área jurídico-institucional, Jorge Rocha, relembrou que mesmo na euforia da vitória a reflexão a respeito da imensa responsabilidade do cargo é necessária. “É preciso contribuir de modo racional e concreto para eliminação ou redução das causas da violência e desigualdades sociais. Vivam, conheçam e adotem o Pará. Conheçam e estudem todos os problemas que afligem a comunidade local”, orientou Rocha.

O integrante do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Gilberto Valente falou da importância do momento, definida por ele como marcante tanto para os empossados e quanto para o Ministério Público. Valente adiantou que o papel do promotor é de constante desafio e que é preciso permanecer do lado da legitimidade e da justiça.

>> Confira aqui a lista completa dos promotores de justiça empossados e os municípios de atuação. 

Veja mais fotos do evento: 


 

AMPEP – Assessoria de Imprensa
 


Publicado em: 03.07.2015