E-mail e Telefone

| Telefone: (91) 3225-0814
email

Nota de Desagravo – PJ Maurim Vergolino

Nota de Desagravo – PJ Maurim Vergolino

A Associação do Ministério Público do Estado do Pará (AMPEP), entidade de classe que congrega os membros do Ministério Público do Estado do Pará, vem a público desagravar o promotor de justiça de Dom Eliseu, Maurim Lameira Vergolino. O associado foi alvo de um vídeo com insinuações falsas, divulgado nas redes sociais pelo prefeito municipal, Ayeso Gaston Siviero.

A Ampep reforça que o associado não dialoga com associações criminosas ou com os seus interlocutores. As ações movidas estão baseadas em vasto e confiável material probatório, e a maior evidência disso são as diversas decisões suspendendo contratos, bloqueando bens dos investigados e até mesmo afastando alguns agentes públicos.
O promotor de justiça informa que a ação relacionada ao fornecimento de combustíveis está fundamentada, acima de tudo, em relatório preliminar da Controladoria-Geral da União e em documentos assinados pelo presidente da Associação de Pastores Evangélicos de Dom Eliseu (Apede), Eudes Gomes Firmino.

A intenção do prefeito aparentemente é criar uma narrativa contra o Ministério Público e a sua atuação. A maior evidência de que o promotor Maurim não age movido por sentimentos pessoais ao pedir o afastamento Prefeito é o fato de que o Procurador-Geral de Justiça,  também pediu o seu afastamento, por meio de ação penal.

Também é uma inverdade a insinuação de que o associado teria sido omisso em relação ao prefeito anterior, afinal foi feito até mesmo pedido a prisão preventiva daquele, junto com o seu Secretário de Gestão, no caso da subtração de processos licitatórios. Com relação à alegação de que em 2016 o gasto com combustíveis teria sido maior que em 2017, Maurim Vergolino anunciou que o fato será devidamente apurado. Inclusive para que se verifique se a administração anterior também praticou superfaturamentos e desvios de combustíveis.

Por fim, esta Associação reafirma o seu compromisso em defender as prerrogativas dos membros do Ministério Público. Repelimos e combatemos quaisquer interferências ou iniciativas difamatórias. Intimidações e tentativas de difamar a imagem do Parquet e de seus membros não serão toleradas.

A Diretoria


Publicado em: 22.07.2019